(11)    3051-4361

(11) 9 9950-1457

Notícias
Fábrica de Empreendedores - artigo por Fábio Tonelli

Franquia: desafio para Franqueadores e Franqueados por Fábio Tonelli

Muitas pessoas me perguntam sobre Franquias, sendo assim, pedi para o Fábio Tonelli que é especialista na área escrever um artigo para esclarecer algumas dúvidas e dar algumas dicas para os leitores do blog, veja abaixo o artigo:

Numa época onde o Sistema de Franquias domina muitos setores e surge em segmentos nunca antes visto, fica claro o sucesso deste sistema de expansão.

Só no Brasil, são mais de mil marcas Franqueadas.....clique aqui e leia a matéria na íntegra.

Quais os custos escondidos de uma franquia?

Quais os custos escondidos de uma franquia?
Respondido por Marcus Rizzo, especialista em franquias -

A preocupação comum a todos que buscam uma franquia é quais serão os custos de implantação e operação do negócio. Muitos destes valores não aparecem de maneira muito clara e transparente quando se está avaliando o investimento. Não se assuste. Estes são custos que você teria ao montar qualquer tipo de negócio, mas o importante é conhecê-los antes de investir.

Custo de aquisição e de ocupação do ponto comercial: alguns aluguéis são calculados sobre o faturamento com um mínimo garantido para o locador. Não se esqueça dos impostos como IPTU, bombeiros,taxas de regularização e dos seguros exigidos para o negócio. Conheça com detalhes os valores destinados a condomínio e propaganda em shopping center, além do 13º aluguel. Muitas vezes estes valores acabam dobrando o valor da locação e são uma "caixa preta" difícil de abrir e questionar.

Honorários profissionais e de administração: muitos negócios possuem atividades burocráticas e exigem a montagem de uma área administrativa que demanda pessoas e equipamentos. Não se esqueça dos custos envolvidos com contadores desde a montagem da empresa até o dia a dia do negócio e, eventualmente, de advogados para a cobrança de devedores e consumidores insatisfeitos.

Capital de giro: as suas receitas iniciais nunca fecham com o pagamento de suas despesas iniciais, geralmente as despesas ocorrem antes. O capital de giro é sua reserva inicial disponível para fazer frente a estas despesas.

Compra de produtos: 62% das franquias no Brasil vendem produtos para a rede transformando franqueadores em atacadistas e franqueados em revendas, nem sempre exclusivas. Estas franquias possuem suas taxas cobradas sobre o volume de compras e o franqueador fica feliz com seu estoque cheio e não com seu volume de vendas. Tome cuidado, conheça com detalhes se a margem que você terá na revenda é compensadora e se você terá exclusividade na sua área de atuação.

Treinamento: normalmente, o treinamento inicial está embutido na taxa de franquia, mas lembre-se que você deverá arcar com as despesas de locomoção, hospedagem e alimentação. Veja também os custos envolvidos nos treinamentos e convenções.

Sistemas e equipamentos: softwares de gestão de negócios demandam o pagamento de taxas de aquisição e licença assim como taxas mensais de manutenção e, em alguns casos, a aquisição de equipamentos. Não esqueça os equipamentos exigidos para os cartões de crédito e suas taxas que podem levar até 5% de sua receita nas vendas com cartão. Lembre-se dos impostos, pois as informações são registradas diretamente na Receita.

Revitalização e manutenção de loja: muitas franquias exigem a revitalização do negócio a cada período contratual e isto significa quase um novo investimento. Veja também as despesas adicionais de taxa de propaganda, geralmente utilizada para vitrines e visual merchandising de loja. São periódicas e consomem uma boa parte da lucratividade do negócio.

Corretagem e taxas da franquia: se você está adquirindo a sua franquia através de um corretor, intermediário ou consultor, saiba que ele está levando até 80% da taxa de franquia. Geralmente ela é paga pelo franqueador ao corretor e - não se iluda - em algum momento você terá que repor esta quantia ao franqueador. Muitos franqueadores cobram o treinamento, a busca do ponto, projetos de arquitetura e até mesmo embutem este custo na compra de produtos para compensar.

Impostos: Tenha em mente que, na média, os negócios no varejo são inviáveis fora da tributação do Simples. Se as suas receitas superarem 3,6 milhões de reais ao ano, olhe com muito cuidado o negócio. Infelizmente é assim que funciona, você será duramente penalizado por crescer.

Seu trabalho: é o mais importante de todos. Em franquia, vale o ditado popular: "é o olho do dono que engorda o gado". É o seu envolvimento pessoal diário que vai fazer o negócio acontecer. Qual o custo deste seu envolvimento e quais as receitas que você precisa gerar para manter sua vida em ordem.

Editado por Priscila Zuini, de EXAME.com

A Lei de Franquia

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI No 8.955, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1994.

Mensagem de veto

Dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising) e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Art. 1º Os contratos de franquia empresarial são disciplinados por esta lei.

Art. 2º Franquia empresarial é o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício.

Leia mais...
Multicanal de vendas sem conflitos !!!

Diretivas para o trabalho de vendas Multicanal sem conflitos:

1 - é falsa a idéia de que muticanais de vendas seja negativo, pelo contrário, com a revolução digital mais da metade dos consumidores finais se sentem frustrados se a Marca que deseja não possui um e-commerce por exemplo.

2 - ainda predomina no mundo digital o uso concentrado pelos neo-consumidores apenas o processos de comparação de preço do que a compra propriamente dita.

Entretanto a exposição da Marca mesmo que somente neste processo amplia o nível de vendas, torna a marca conhecida e melhora o desempenho das lojas físicas.

3 - o fator que ainda pesa na compra virtual, é ainda o receio dos usuários em passarem dados de cartão e pessoais pela internet. Entretanto todos os indicadores mostram que este canal de distribuição é uma tendência que deve crescer muito nos próximos anos, principalmente através dos telefones celulares.

4 - portanto receber ofertas pelos celulares e internet (e-mail), principalmente atrelado às ações desconto mania, é uma tendência positiva, já que os usuários deverão aceitar cada vez mais este tipo de canal.

5 - os consumidores que mais compram pela internet predominam: pessoas acima de 35 anos, de maior escolaridade (para os que compram pela internet) e de menor escolaridade (para as que apenas fazem consulta e comparam preços pela internet). Portanto a comunicação entre um canal e outro nem sempre deverá ser idêntica, ou seja a consumidora da loja pode ser a mesma que compara preços pela internet, mas a que realmente compra deve apresentar uma idade, escolaridade e poder aquisitivo maior.


Algumas idéias sobre multicanais de vendas:

1 - os canais não devem se conflitar, pelo contrário um canal deve fortalecer o outro.

2 - principais motivos de conflitos e que devem ser evitados:

- precificação: o seu e-commerce (que é uma venda mais direta) não deve vender com preços menores que as Franquias ou outros canais de distribuição.

- política de descontos: não praticar política de descontos diferentes entre os canais

- caso tenha canais de distribuição diferentes, por exemplo: Franquia, loja multimarca...defina regiões de atuação muito claras e que tais regiões dê sustentação adequada para cada unidade.

Isto vale também para um mesmo canal, por exemplo, Franquias muito próximas em locais que não tenham densidade demográfica e demanda suficiente para que a unidade atinja um patamar de faturamento adequado, gera canibalização de uma para outra, o que é muito ruim.

3 - todos os canais devem ser devidamente capacitados: você não pode ter por exemplo um Franquia, ou e-commerce, ou loja multimarca que disponibilizem atendimento ruim . O mau atendimento extermina o valor da Marca e um canal irá atrapalhar o outro. Uma cliente mal atendida por exemplo no e-commerce, poderá simplesmente refutar a ida numa loja física por associar a mau atendimento e qualidade. Portanto todos os canais de distribuição devem ter a mesma linguagem, o mesmo nível de atendimento.

O que se pode e deve ter neste caso, são benefícios específicos de cada canal, indo no sentido oposto, por exemplo, uma cliente satisfeita por uma compra na loja física, deverá com certeza comprar um produto no e-commerce, de um item por exemplo não disponível na loja.

4 - sendo possível a interação entre canais é muito bem vinda e pode fortalecer ainda mais a rede. Por exemplo: a Franquia que utiliza o canal e-commerce como uma ferramenta de vendas, e se comissiona por isto ou ainda como responsável numa região pela distribuição porta a porta dos revendedores da Marca.

5 - o plano de marketing deve ser desenvolvido de forma separada para cada canal de venda, não se deve acreditar por exemplo que o e-commerce será o responsável pela melhora da demanda das loja Franqueadas.

É obvio que os canais bem desenvolvidos irão fortalecer a marca. Mas para cada canal você deverá criar um plano de marketing especifico, já que será natural ter perfis de públicos diferentes entre eles.

6 - as estratégias de vendas devem ser consolidadas uma a uma, mudar constantemente estes canais pode gerar incerteza e insegurança para cada parceiro, muitos conflitos deverão aparecer, já que estes canais se intercomunicam, como que por osmose.

7 - evitar a saturação de canais numa mesma região, ou público alvo. O dono da Marca é o único responsável por eliminar esta disputa muito acirrada, enfraquecendo os canais que sem rentabilidade, vão minguando até ruir.

É o  dono da Marca que deve sempre buscar a rentabilidade dos canais.



Página 1 de 2